Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos Mudos

Desabafos Mudos

26/10/15

a propósito da redação do ENEM

 

Lembro-me de no ano passado, à noite, eu e mais três primas percorrermos as ruas do centro de Guarulhos à noite juntas. Estava de braço dado com a minha prima seis anos mais nova e passou um grupo de rapazes a chamarem-nos lésbicas e a dizerem um monte de outras coisas que não me ficaram na cabeça (até porque nem valia a pena). E eu, num impulso se formos a ver estúpido, virei-me e dei-lhe um mega beijo na cara e continuamos.


Depois lembrei-me que estava no Brasil, mais um bocado e levava um enxerto de porrada. Há quem tenha levado por menos.

 

18/04/15

azul é para meninos e rosa para meninas

Lembram-se de me 'ouvir' reclamar como os pasteleiros tinham usado o azul no bolo tirando o enfâse ao vermelho do sangue na imagem do bolo de anos do meu irmão? Pois, porque podia ter sido vermelho. Mas foi azul para dar a entender que o bolo era para um rapaz... Já nem sei do post mas whatever.

Felizmente o da minha princesa com gostos maria-rapaz vai ser feito por mim e uma tia, ou seja, pelo menos sei que ela não vai fazer questão de pôr lá coisas cor-de-rosa. Pelo menos espero que tenha esse bom senso e conheça a sobrinha o suficiente.

 

Quando fui pus o filme do Aladin para ver com as duas princesas a primeira coisa que ela disse foi "outro filme de princesas?". Mas ela gostou, porque não era como os outros :)

Engraçado, como eu trato as duas por princesas, quando uma nem liga muito a coisas de meninas não é?

01/04/15

cadeiras de rodas

Hoje vi duas coisas que me irritaram, mas esta foi a pior. Estávamos a caminho de casa quando vi uma senhora numa cadeira de rodas elétrica, não ia acompanhada, parada atrás de um carro (aqui têm-se por hábito estacionar o carro onde não se deve e neste caso estava ao lado do passeio) à espera que houvesse ali um entrevalo para ela prosseguir o caminho... pela estrada.


Estava eu a meio do pensamento "Ela é doi..." quando olhei para os dois passeio e me dei conta da inteligência que é o ser humano! Ora um dos passeios não tinha aquela inclinação que facilita a subida destas pessoas. O outro que até tinha essa inclinação (de um lado só! -.-) não tinha mais que 50 cm de largura e tinha árvores plantadas no meio do passeio! Mas isto tem alguma lógica? Onde é que esta gente tem na cabeça? Depois fiquei foi com vontade de bater em quem vai nos carros, porque tenho a certeza que 90% dos que ali passaram devem ter dito alguma coisa à senhora que não tinha outra hipótese!

15/09/13

Ajuda aos nossos Heróis!

Recolha de donativos, que revertem na totalidade para a Liga Portuguesa de Bombeiros - Fundo de Proteção Social do Bombeiro.
Para dar o seu contributo, utilize os seguintes nº de telefone disponibilizado pela Portugal Telecom:
760 20 30 40 (Custo da chamada: € 0,60 + Iva)
Ligue e PARTILHE! Vamos Formar a Maior onda de Solidariedade de Sempre!




Vejam na RTP1 a causa, Heróis de Portugal, têem até às 20h para os puder ajudar. Não custa nada quando eles fazem tanto por nós!



Fonte da Imagem


 

14/09/13

eu cá tenho os pés bem assentes...

Hoje, a caminho de uma mercearia, não gostei nada do aspecto de uns rapazes ('gândulos' pensei logo) que estavam sentados ao pé de umas escadas que dava para as traseiras de uns prédios, um atalho para o nosso destino. Disse logo à minha mãe que ali não passava eu, foi um pressentimento, e até costumo tentar lutar contra esse medo. Mas meter-me naquele beco com aqueles dois ali, e outros que estivessem com eles, eu não me metia. 'Ah, eles não fazem nada. Se mostrares medo é pior', disse logo. Não fazem até ao dia... respondi. E se naquele momento podia disfarçar bem e ir por outro caminho, foi logo o que fiz.


 


Já na mercearia, estavamos nós sossegadas. Quando começam as pessoas a ir para a porta para ver o que se passava na rua. Aparece ali um homem todo esbaforido, desorientado, a escorrer sangue pelos cotovelos, t-shirt rasgada, coberto de pó e a cabeça rachada. 'Levaram-me o telemóvel, o portátil e os documentos todos. Fiquei sem nada!'. Eram quatro. O primeiro aproximou-se e depois fez sinal aos outros que se tinham escondido.


 


E eu ali, petrificada a olhar para ele, como se tivesse acabado de ser comigo, a relembrar o sabor amargo daquele sentimento de vulnerabilidade de me assolou uma vez mais. Já fui assaltada três vezes, só numa é que me tentaram bater. Do que me valeram os gritos. Ainda ssim, não consigo evitar tremer de cada vez que vejo alguém com mau aspecto. Só ou acompanhada. Eles quando querem, fazem o que querem. E nós, que andamos a lutar por cada bocadinho que conseguimos ter, não pudemos fazer nada a não ser abrir a mala... quando não caem logo em cima de nós de punhos cerrados.


 


Disse uma senhora lá dentro connosco, 'em plena luz do dia, é inacreditável'. Oh minha senhora, em que mundo vive?


Picoult, 25 anos, a espetar com tudo para aqui desde 2009.

it

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Sobre mim

Picoult, 25 anos, a espetar com tudo para aqui desde 2009.
Curiosa na multimédia, gosta de fotografia, apaixonada por gatos e já foi viciada em escrita.