Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

desabafos mudos

desabafos mudos

01
Jan17

2016

Picoult

Conheci uma pessoa que julguei amiga, tretas. Vim para Lisboa trabalhar, tive 3 trabalhos diferentes. Aluguei a minha casa, trouxemos a gata para ao pé de nós.Tive um acidente de carro, estivemos quase três semanas sem ele quando estavamos a pensar comprar um segundo... Arranjei um segundo trabalho no perigo eminente de não me renovarem o outro em que estou.

 

As pessoas perguntam-me se vou aguentar, dois trabalhos, tantas horas seguidas. Bem, sinto-me com energia. Já ando a espreitar aqueles site com voos baratos para este ano. Quem sabe. Uma pessoa trabalha tanto, não pode ser só pagar para despesas. Também tem que ter alguma diversão.

Neste inicio de ano estou inspirada o que passou foi produtivo, cheio de aprendizagens. Espero que este que vem seja menos atribulado, mais divertido e em que possa finalmente ajudar alguma associação de forma a agradecer a sorte que tenho tido. Mesmo com acidentes e chefes da treta. Tenho trabalho e a minha casinha :)

 

Bom ano para todos!

(a ver se amanhã tiro as teias a isto e lhe dou um novo visual)

18
Dez16

estou vida, por enquanto

Picoult

O que eu passei nos últimos dois meses nem lembra o Diabo. Mas eu deixo só o uptade da última semana, fiquei doente e por ter faltado (por estar insposta e com febre), não me devem renovar o contrato. No entranto soube que o meu chefe anda a espalhar pela equipa que eu só posso estar grávida

 

Foi ataque de ansiedade senhor, comecei hoje a tomar calmantes para cagar e andar no que vocês dizem.

08
Out16

Resumo

Picoult

das últimas duas semanas e uns dias:

 

Tinha uma casa na mão, porque ninguém quer ir morar para aquela zona... incluindo a minha pessoa. Não é propriamente segura. Tratei de encontrar fiadores e reunir os documentos. O atraso do meu recibo de vencimento fez com que encontrássemos um outro apartamento. Muito maior, numa zona extremamente sossegada e com autocarro à porta. O facto da casa vir a precisar de uns toques aqui e ali deixou-me confiante.

Porquê? Porque ia haver menos interessados e eu tinha a certeza que o proprietário me ia deixar as paredes, até porque tinha ali dois buracos para tapar

 

Uma hora depois já eu tinha enviado um email, com a documentação toda e uma apresentação dos dois, fotografia incluída. Tinha que aumentar as probabilidades certo? Bem, dispararam para 100%. Ainda não eram 20h do mesmo dia e já tinhamos a resposta positiva.

Correria para cá e para lá para tratar da reserva, contrato para assinar, mudanças, limpeza da casa, aproveitar promoções no pingo doce/continente, mandar ligar a luz/água/gás... Tratei agora da Meo. Isto tudo numa semana. Agora é aguardar. Em principio no próximo fim-de-semana já estamos lá a morar. No nosso cantinho

 

E a gata está prestes a vir para cá. Também já tem miminhos para ajudar a adaptar-se, a mariconça... aqui a dona até vai ter dias de férias inesperados só para ela.

20
Set16

o dilema

Picoult

Ou 'o desespero'. Também serviria que nem uma luva como título para este post. Queremos por tudo sair de casa dos meus pais até ao final do mês. Mas não há anúncios dentro das nossas possibilidades. E o 'reservado' hoje foi duro de ouvir.

Temos no entanto ainda uma possibilidade pendente com resposta no final deste mês. Com diferença de 50€ com ou sem recibos... No desespero, sendo a única possibilidade, ainda vai ser essa. Não me vejo aqui mais um mês, não consigo.

26
Ago16

das melgas # 2

Picoult

Estava eu a morrer de calor, mas a aguentar-me, com o corpo coberto pelo lençol e apenas a cabeça de fora. Foi o pior erro da minha vida. Já fui mordida em todo o lado! Só sitios convenientes. Agora que estou a trabalhar, fui mordida sabem onde? No olho direito! Foi em milésimas de segundos que o olho BUM inchou ás 5h30 da manhã mal passei lá o dedo. E se inchou... por inteiro, não ficou sequer a forma da borbulha, parecia que tinha levado uma murraça. Não conseguia abri-lo.

 

"OH MÃE!", fui eu pela casa a pedir socorro que não conseguia abrir o olho e ia trabalhar á hora de almoço... Atendimento ao público... yh, esqueçam, fiquei em casa.

Às 8h30 lá fui á farmácia. A farmacêutica teve que se rir e eu ri-me também, porque não tinha outro remédio. Tão inchado que só se via as pontinhas das pestanas

Já eu tinha avisado a chefe que hoje não ia trabalhar. O senhor que me atendeu disse que podia voltar a inchar durante a noite e eu ri-me: "Não, isto tem que ficar bom hoje, porque quero ir trabalho amanhã".

 

Fiz 15 minutos de gelo, pus o creme dentro e fora do olho como recomendado. De hora a hora ia repetindo o gelo. Pelas 16h já conseguia mantê-lo aberto apesar de ainda sentir a pressão do inchaço que o queria fechar. No dia seguinte fui trabalhar com uma coisa mínima, amén.

Larguem-me melgas! Até parece que não têm mais ninguém no quarto caraças!